Assembleia Municipal de Lisboa
*
73ª reunião AML - 16 de Junho 2015
Assembleia Municipal recomenda à Câmara que acompanhe a situação da Fábrica de Sant’Anna
17-06-2015 AML com Público e Lusa

A Assembleia Municipal aprovou, por unanimidade, uma recomendação do MPT “pela salvaguarda do património azulejar da loja centenária da Fábrica de Sant’Anna”. Recorde-se que continuidade desta loja na Rua do Alecrim está em risco, dada a intenção do Grupo Visabeira, que já lhe entregou uma ordem de despejo, de construir no local um hotel.

A recomendação aprovada por unanimidade propõe à câmara que “acompanhe o processo entre o proprietário do imóvel e os proprietários da Fábrica de Sant’Anna, de forma a possibilitar a permanência desta montra de azulejaria portuguesa no seu actual local”.

A União de Associações do Comércio e Serviços (UACS) tinha já alertado, em comunicado de 12 de junho, para o encerramento “coercivo” de lojas centenárias em Lisboa, dando lugar à implantação “de hotéis de charme ou de luxo”. Responsável por lançar o projecto Lojas com História, a UACS entende que vender o património é um direito dos proprietários e destiná-lo a outros fins é de quem o adquire, mas cabe à CML o papel de tentar assegurar a preservação das histórias de “lojas centenárias ou com mais de 50 anos que sejam referências” na cidade.

Também o Fórum Cidadania apelou ao promotor da construção do hotel e à Câmara Municipal de Lisboa para manterem em funcionamento a loja centenária da Fábrica Sant´Anna. A carta, enviada à Câmara na semana passada, surge na sequência de notícias relativas à ordem de despejo da loja histórica da Fábrica SantAnna, pelo proprietário do imóvel onde a loja funciona desde 1916 (Vista Alegre Atlantis/Grupo Visabeira). Os subscritores apelam "ao bom senso e bom gosto" do promotor, para que reformule o seu projecto com vista a permitir a manutenção da loja da Fábrica SantAnna e pedem à autarquia para que "tudo faça" em prol da manutenção deste "fabuloso espaço" praticamente centenário de Lisboa.

Lembram também que a loja da Fábrica Sant`Anna faz parte integrante do imóvel (palácio) registado no Inventário Municipal do Património anexo ao Plano Director Municipal em vigor e que a loja em causa é por si própria "a referência" desta Fábrica aquém e além-fronteiras. "Caso deixe de o ser, poderá pôr em causa a boa laboração da mesma, pondo em perigo assim a última produção artesanal de azulejaria de Lisboa", alertam ainda.