Assembleia Municipal de Lisboa
*
Lisboa tem portal de dados abertos sobre a cidade
29-09-2016

Resultante de uma colaboração continuada de todos os serviços da câmara, empresas municipais e parceiros externos, o portal Lisboa Aberta disponibiliza já cerca de 300 conjuntos de dados​ sobre escolas, localização de parques de estacionamento da EMEL, limites administrativos, orçamento participativo, consumos energéticos em edifícios municipais, entre outros.

O acesso aos dados do portal Lisboa Aberta é livre, pretendendo-se com isso potenciar a sua reutilização e a criação de bens e serviços que acrescentem valor aos conteúdos disponibilizados.

Para Jorge Máximo, vereador dos Sistemas de Informação do município, a cidade está “bem posicionada no sentido da inovação”, e apostada em “partilhar a informação da cidade com toda a gente”. O objectivo, adiantou, é “facilitar a vida” às cerca de 300 mil pessoas que anualmente se deslocam aos serviços de atendimento do município.

De resto, Jorge Máximo lembra alguns projectos em Lisboa que procuram aumentar a participação e a partilha, como a o Orçamento Participativo ou a rede de centros de cidadania digital, e adianta que “hoje o desafio é o de incentivar a eficiência na utilização de recursos em cidades que se querem mais sustentáveis e inteligentes”, com um tripo desafio: melhor governança, melhor cidadania activa e mais desenvolvimento económico.

A plataforma de dados, apresentada em Fevereiro 2016 por Fernando Medina como uma parceria “verdadeiramente importante, para um projecto que tem um cunho central de modernidade e também de democracia", envolve empresas como a Fertagus, a Administração do Porto de Lisboa, a ANA, a MEO, a EDP, a Associação de Turismo de Lisboa, o Instituto Nacional de Estatística, a EPAL, os Transportes de Lisboa ou a EMEL.