Assembleia Municipal de Lisboa
*
27-10-2016

A Lisboa Ocidental, SRU – Sociedade de Reabilitação Urbana, E.M., S.A., é uma empresa local de promoção do desenvolvimento local e regional, que tem como objeto social principal a promoção de operações de reabilitação urbana, nos termos do disposto no Decreto-Lei nº 307/2009, de 23 de Outubro, alterado pela Lei nº 32/2012, de 14 de agosto, nomeadamente através da promoção, manutenção e conservação de infraestruturas urbanísticas e gestão urbana e renovação e reabilitação urbanas e gestão do património edificado, bem como promover intervenções de reabilitação do espaço público, renovação das infraestruturas e reabilitação de edifícios das quais seja encarregue pela Câmara Municipal. Ler mais

*
27-10-2016

A Gebalis – Gestão do Arrendamento Social em Bairros Municipais de Lisboa, E.M., é uma empresa local de promoção de desenvolvimento que tem como objeto a gestão do arrendamento da habitação social municipal em bairros municipais, nos termos e condições a definir pela Câmara Municipal de Lisboa. Os seus instrumentos previsionais de gestão são aprovados pela respectiva Assembleia Geral, após previa apreciação pela Câmara Municipal. Ler mais

*
27-10-2016

A EMEL – Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.M, S.A, é uma empresa local de gestão de serviços de interesse geral que tem por objeto intervir na gestão e operação do sistema de apoio à mobilidade urbana, estacionamento e serviços associados, nomeadamente a construção e operação de infraestruturas de apoio à mobilidade pedonal, sistemas de mobilidade elétrica e produtos partilhados de mobilidade. Nos termos legais e estatutários a aprovação dos instrumentos de gestão da empresa cabe à sua assembleia geral, após prévia apreciação pela Câmara Municipal. Ler mais

*
27-10-2016

A EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, E.M., é uma empresa local de gestão de serviços de interesse geral que tem por objeto exclusivo assegurar a universalidade, a continuidade dos serviços prestados e a coesão económica e social na área da cultura, através da gestão de equipamentos culturais e de atividades de promoção de projetos e iniciativas no domínio da cultura. Nos termos legais e estatutários a aprovação dos instrumentos de gestão previsional é da responsabilidade da sua assembleia geral, após prévia apreciação pela Câmara Municipal. Ler mais