Assembleia Municipal de Lisboa
logotipo
Página do Grupo Municipal do Partido Popular (CDS/PP)
A política editorial desta página é da inteira responsabilidade do Grupo Municipal do Partido Popular (CDS/PP)
*
41º ANIVERSÁRIO DO 25 DE NOVEMBRO DE 1975
22-11-2016

Debatido e votado: 22 de Novembro de 2016
Rejeitado com a seguinte votação: favor - PSD/ CDS/ MPT / PAN e 2 deputados do PS. abstenção - 5 deputados do PS. contra - PCP/ BE/ PEV/ IND/ PNPN e PS

O CDS rejeita e condena a intervenção dos deputados do PCP que num discurso de ódio não se coibiram de associar o CDS à PIDE , ao racismo e à xenofobia - diríamos mesmo que do cardápio de insultos só faltou chamarem-nos comunistas. Estranhamos mesmo que 41 anos depois venham falar alto quando no próprio dia ficaram calados. Perante a cassete da mentira e do insulto o CDS não reconhece nenhuma autoridade ao PCP e ainda menos quando este partido este pretende dar lições de democracia. A nossa legitimidade é legada pelo voto do povo e só a este prestamos contas.

Em 25 de Novembro de 1975 o PREC (Processo Revolucionário em Curso) extinguiu-se, constituindo assim uma derrota para todos os que, situando-se na extrema-esquerda recorreram à violência, à prepotência, à intolerância e à censura para impedirem a normalização da democracia que tinha sido conquistada no ano anterior, em 25 de Abril de 1974.
Perante o rumo que o país levava em direcção a um novo totalitarismo – desta vez esquerdista –, os democratas não se conformaram e, recorrendo ao sentido patriótico que os animava, saíram à rua para defender a Liberdade.
Militares como Ramalho Eanes e Jaime Neves, entre outros, e líderes partidários como Mário Soares, Sá Carneiro e Freitas do Amaral deram corpo e representação a um vasto e maioritário conjunto de portugueses de vários quadrantes políticos – da esquerda democrática à direita democrática – que defendiam para Portugal uma democracia pluralista e de tipo Ocidental.
O CDS-PP reconhece que, face às dificuldades do contexto social e político da época, foi o “25 de Novembro” que tornou possível salvar o essencial da Democracia e que este processo foi obra de verdadeiros democratas cuja história e memória importa preservar e assinalar, defendendo o que de mais precioso o 25 de Abril consagrou: a Liberdade para todos os portugueses, independentemente as suas convicções políticas e religiosas.
Assim, o Grupo Municipal do CDS-PP propõe à Assembleia Municipal de Lisboa, reunida a 22 de Novembro de 2016, que:
Aprove um voto de saudação aos militares e políticos que, em 25 de Novembro de 1975, lutaram pela consolidação de um Portugal democrático, pluralista e livre.

Lisboa, 17 de Novembro de 2016

O Grupo Municipal do CDS-PP

Diogo Moura