Assembleia Municipal de Lisboa
*
*
*
40ª Reunião - 9 de Setembro
Eleito municipal desafia Câmara de Lisboa a entregar manutenção do Jardim do Império à junta
10-09-2014 MCL (AYMN) // ZO, LUSA

O deputado municipal de Lisboa João Carvalhosa, do PSD, criticou hoje o fim de alguns brasões históricos do Jardim do Império e desafiou a câmara a entregar a sua manutenção à Junta de Freguesia de Belém.

"Foi com estupefacção que a Junta de Freguesia de Belém e os lisboetas receberam a notícia que existe a intenção de acabar com alguns brasões do Jardim da Praça do Império, apagando a sua memória histórica, o que repudiamos", disse.
João Carvalhosa falava na reunião de hoje da Assembleia Municipal de Lisboa.
Afirmando que aqueles brasões "são património cultural de todo o povo", o deputado lamentou que a câmara de Lisboa ande a "descurar a manutenção dos espaços verdes da cidade".

Por isso, propôs que a autarquia transfira a verba prevista para a reabilitação do Jardim da Praça do Império para a Junta de Freguesia de Belém, "que se compromete a fazer a manutenção e reabilitação dos espaços".
Além disso, o eleito referiu que a junta fará também brasões com o símbolo da câmara e da Junta de Freguesia.

Por seu lado, o deputado Ferreira Lemos, do CDS-PP, aproveitou para defender que o presidente da câmara de Lisboa, ausente da reunião, "não se tem ocupado devidamente dos assuntos de Lisboa".
Para o deputado, acabar com os brasões é "tirar harmonia de uma emblemática zona de Lisboa", que é também "atracção internacional".
"Parece que têm vergonha da cidade", lamentou Ferreira Lemos, defendendo que "reformar e modernizar não é nem pode ser diminuir a cidade".

Pelo MPT, António Arruda disse que "vê com preocupação a solução" apresentada pelo vereador da Estrutura Verde lançamento de um concurso de ideias para aquele jardim, classificando-a de "manobra de diversão".
"O MPT defende a rápida manutenção dos jardins da Praça do Império na sua forma original", concluiu.

A polémica em torno da recuperação do jardim da Praça do Império, instalado há 75 anos em frente ao Mosteiro dos Jerónimos e que agrega várias composições florais, como brasões dos distritos portugueses, a cruz de Cristo, o escudo português e canteiros com símbolos das ex-colónias surgiu em Agosto, com uma denúncia da Junta de Freguesia de Belém.
Estes arranjos não são alvo de intervenção há cerca de 20 anos.

A Câmara de Lisboa, através do gabinete do vereador da Estrutura Verde, José Sá Fernandes, anunciou depois estar a fazer um estudo para a recuperação da maioria dos brasões, nos quais não incluiria os ultramarinos.
Entretanto, o vereador Sá Fernandes anunciou na sexta-feira que vai apresentar na reunião de quarta-feira da Câmara de Lisboa uma proposta que prevê o lançamento de um concurso de ideias para a renovação do jardim da Praça do Império.