Assembleia Municipal de Lisboa
*
Drenagem de Alcântara estava avariada no dia das cheias
20-10-2014 M.M.S., Diário Económico

O sistema de drenagem de águas junto ao cruzamento de Alcântara, uma das zonas mais problemáticas da cidade de Lisboa quando há cheias, não se encontrava em funcionamento no dia 13 de Outubro, dia em que algumas zonas da capital voltaram a ficar inundadas, pela segunda vez no intervalo de três semanas.

Cabe à Simtejo, empresa do grupo Águas de Portugal, a gestão e operação do sistema municipal de saneamento da região de Lisboa. Em resposta enviada ontem ao Diário Económico, a Simtejo informa que "a Estação de Drenagem de Águas Pluviais, junto à Rua Fradesso da Silveira, será reposta em funcionamento no início da próxima semana, após a reparação dos dois grupos de eletrobomba, que entretanto foi concretizada".

A empresa garante, contudo, que "a contribuição desta estação para a atenuação dos efeitos de cheias é muitíssimo reduzida aquando da existência de pluviosidades excepcionais, uma vez que se liga ao caneiro na zona baixa de Alcântara, e que, nesses casos de grandes pluviosidades como se verificaram, o caneiro já não tem volume disponível para absorver caudais complementares".

No entanto, segundo o engenheiro enviado pela Câmara Municipal de Lisboa (CML) para avaliar as condições de operacionalidade dos sistemas de drenagem de Alcântara, o funcionamento destas eletrobombas ajudaria a atenuar os efeitos das chuvas intensas, sabe o Diário Económico. A Simtejo informa também que procedeu já à abertura de seis concursos públicos para intervenções mais urgentes na zona baixa de Alcântara, que permitem reduzir as afluências de águas residuais ao caneiro de Alcântara, cujo valor global ultrapassa um milhão de euros.

Para 2016 a Simtejo tem ainda previsto um investimento superior a sete milhões de euros para a construção de dois colectores paralelos ao troço final do caneiro de Alcântara que permitirão a drenagem autónoma das águas pluviais e residuais da zona baixa desta freguesia.
MMS
Diário Económico