Assembleia Municipal de Lisboa
Voto 074/01 (CDS-PP) - Voto de Saudação às Marchas Populares de Lisboa
18-06-2019

Agendado: 18 de Junho de 2019 nova versão
Debatido e votado: 18 de Junho de 2019
Resultado da Votação: Aprovado por unanimidade
Ausência de dois Deputados(as) Municipais Independentes da Sala de Plenário
Passou a Deliberação: 274/AML/2019
Publicação em BM: 6º Suplemento ao BM nº 1322

VOTO DE SAUDAÇÃO ÀS
MARCHAS POPULARES DE LISBOA

As Marchas Populares de Lisboa são um factor importante da identidade da cidade e um dos principais momentos das Festas da Cidade, que decorrem em Junho.

Apesar dos estudiosos da temática encontrarem indícios desta manifestação na idade média e, posteriormente, no início do séc. XX com as «marchas à filambó», de influência francesa, é em 1932 que se realiza a primeira Marcha Popular num modelo de competição aproximado ao que hoje conhecemos.

Por iniciativa de José Leitão de Barros, que visava animar o Parque Mayer, incentivaram-se as comunidades provenientes da província, que se agrupavam em diversos bairros da cidade, a participarem neste evento. Essa visão foi-nos transmitida, e impregna a nossa memória, através de filmes como A Canção de Lisboa e o Páteo das Cantigas, obras lendárias do cinema português.

Mas é na década de 50 que o paradigma muda com o prestígio granjeado atraindo as vedetas da rádio, do teatro e os políticos. É, também, no início dessa época que é inaugurado o percurso do desfile, do Marquês de Pombal aos Restauradores que ainda hoje perdura. Com altos e baixos, decorrentes dos períodos históricos vividos, as Marchas ganham novo esplendor a partir de 1980.
Em 2019 concorreram 20 Marchas e desfilaram 21 contando com a Marcha infantil de A Voz do Operário, além das marchas convidadas.

Nos dias 7 a 9 e na noite de 12 de Junho, a cidade encheu-se de brilho e emoção! Esta explosão de alegria, sentimento, cor e musicalidade, que anualmente percorre a Avenida da Liberdade - observada por milhares de portugueses - é obra de muita gente, alguma invisível, que durante um ano trabalha afincadamente: marchantes, direcções e membros das colectividades, cenógrafos, coreógrafos, figurinistas, letristas, músicos, funcionários da CML e EGEAC que, para além da salutar competição, melhoram e embelezam o nosso quotidiano durante os Santos Populares.

Independentemente dos resultados, todos são vencedores, não apenas de Lisboa mas também de Portugal, em que as marchas ocupam um lugar cimeiro de representação das práticas culturais e da vivência e projeção internacionais das nossas tradições.

Assim, o Grupo Municipal do CDS-PP propõe à Assembleia Municipal de Lisboa, reunida a 18 de Junho de 2019, que:

Aprove um voto de saudação dedicado a todos os que contribuíram e participaram nas Marchas Populares de Lisboa, marco identitário da alma alfacinha.

Lisboa, 13 de Junho de 2019

O Grupo Municipal do CDS-PP

Diogo Moura

Documentos
Documento em formato application/pdf 6º Suplemento ao BM nº 1322606 Kb